A Casa da Mulher de Manguinhos, que atendia mais de 1 mil mulheres todos os anos, está fechada há mais de um ano. Mas nós podemos mudar isso.

Envie agora sua mensagem pela reabertura da Casa da Mulher de Manguinhos!

Quem você vai pressionar

Secretário Átila Nunesatila.alexandre@gmail.com

2222mensagens enviadas

Depois de 1 ano sucateados, os centros integrados e especializados que atendem mulheres vítimas de violência finalmente estão caminhando para seu pleno funcionamento! Graças às quase 2 mil pessoas que pressionaram o secretário Pedro Fernandes, o CIAM Queimados foi reaberto e o CEAM Baixada conta com uma equipe mínima para atendimento, assim como o CIAM Márcia Lyra.

Apesar disso, a Casa da Mulher de Manguinhos, que atende mais de 1 mil mulheres por ano, continua fechada desde 2016 e não há nenhuma previsão de que seja reaberta. Depois de uma série de depredações, as mulheres de Manguinhos e de bairros adjacentes, uma das regiões mais pobres e violentas da cidade, continuam sem amparo nenhum do estado.

Além de atendimento humanizado e especializado às vítimas de violência, a Casa também ajudava mulheres desempregadas com cursos profissionalizantes e encaminhamento pro mercado de trabalho - fundamental em tempos de crise do estado, que afeta sobretudo as mulheres mais pobres.

Agora, precisamos focar nossa pressão em Átila Nunes, que assumiu a recém-criada Secretaria de Assistência ao Idoso e à Mulher. Neste mês, as mulheres de Manguinhos já fizeram um mutirão no espaço, mostrando que ele precisa ser reaberto. Vamos mostrar ao secretário que estamos com elas e que queremos a abertura imediata da Casa da Mulher de Manguinhos!

Envie agora seu email ao secretário!
COMO FUNCIONAVA A CASA
DA MULHER DE MANGUINHOS?


NOSSAS CONQUISTAS!!!

1. CIAM Márcya Lira
Equipe com 3 psicólogas, 1 advogada e 3 assistentes sociais.





2. CEAM Queimados
Reaberto no último dia 23 de março, equipe mínima com assistente social, psicóloga e advogada.





3. CIAM Baixada
Funciona agora no seguinte endereço: Rua Terezinha Pinto, 297, Centro - Nova Iguaçu Telefone: (21) 26982562.
Equipe mínima com assistente social, psicóloga e advogada.








Por que o Meu Rio entrou nessa?

O Meu Rio sempre esteve ao lado das mulheres na luta pelo fim da violência contra a mulher. Em 2016, realizamos o Circuito de Mulheres Mobilizadas, que ocupou todos os cantos do Rio com atividades e ações promovidas por mulheres durante o mês de março.
Em maio, inauguramos o Mapa do Acolhimento. Agora, sabemos que precisamos nos posicionar também pela manutenção dos serviços e políticas para mulheres do estado para garantir um Rio de Janeiro mais seguro e menos desigual para as mulheres fluminenses.